Gestão familiar: Como dar continuidade nos negócios?

Várias oficinas mecânicas, autocenters e lojas de automóveis espalhadas pelo Brasil têm como característica a gestão familiar. São negócios passados de pai para filho e que surgiram graças ao trabalho e o esforço de quem teve a coragem de empreender.

Porém, para que a empresa tenha sucesso não basta apenas um bom relacionamento familiar e o vínculo entre as pessoas, é necessário ter uma boa gestão.

No entanto, você sabe como fazer essa gestão e dar continuidade nos negócios da família? No artigo de hoje, vamos falar um pouco sobre esse assunto. Ficou interessado? Preste atenção na leitura!

Qual é o maior desafio das empresas familiares?

Hoje, o maior desafio das empresas familiares é a definição clara de hierarquia.

A maioria das pessoas tem dificuldades em separar o profissional e o pessoal. São filhos que muitas vezes não reconhecem o lado de gestor dos pais ou até mesmo pais que não reconhecem a capacidade dos filhos como administradores.

Também há dificuldade de comandar os entes próximos. Você consegue recrutá-los, mas fazer com que cada um reconheça seu comando é outra história. Então, o que fazer para resolver esse dilema? Você deve, em primeiro lugar, deixar claro para sua família que ali na empresa você é o gestor, é o chefe.

É preciso ser firme nas decisões relacionadas a sua empresa. Só assim você conseguirá dar continuidade aos negócios.

O que fazer para ter uma gestão familiar bem sucedida?

1.Tenha uma empresa organizada

A primeira coisa que você deve fazer para ter uma boa gestão familiar é organizar sua empresa. As organizações familiares são compostas por três pilares: negócios, família e propriedade.

Por isso, todas suas decisões em relação à gestão e orçamentos afetam os membros e tornam-se motivos de conflitos. Porém, para evitar esses problemas você precisa criar uma governança empresarial baseada nos princípios da sua missão, metas, objetivos, disciplina e flexibilidade.

Esse último princípio ajuda na sobrevivência do seu negócio. É necessário ser flexível em algumas situações. Também é preciso acompanhar as mudanças do mercado que aumentam a eficiência dos processos.

2. Faça balanços, discuta ideias e soluções

As reuniões periódicas são sempre bem-vindas. Promova esses encontros e não se esqueça de envolver todos os funcionários, inclusive aqueles que não possuem nenhum parentesco com a empresa.

Aproveite esses momentos para discutir fatores importantes como novos desafios, soluções para os momentos de crise e resoluções para os planos estratégicos.

3. Adote medidas certas e éticas

Em relação à divisão de lucros, você deve adotar medidas certas e éticas. Não misture contas pessoais com contas do empreendimento e outras questões particulares.

Para colocar essas medidas em prática, lembre-se da diferença que existe entre patrimônio da empresa e patrimônio da família.

Reconhecer essa diferença é fazer com que a ética seja praticada e os bens e capitais pertencentes ao negócio sejam utilizados para o seu desenvolvimento e manutenção.

4. Atribua um responsável pelas finanças

É importante pensar na pessoa que será responsável pelas finanças da organização.

Nas pequenas empresas familiares ocorrem vários casos de o contador ser também o gestor operacional ou o vendedor. Isso atrapalha e gera negligências em cadeia por causa da sobrecarga de responsabilidades.

5. Estabeleça critérios justos na escolha dos sucessores

A sucessão nas empresas familiares é, muitas vezes, polêmica e conturbada.

Várias pessoas querem ser o próximo comandante do negócio. Só que nem todos têm o perfil exigido para essa função; por exemplo, um filho mais velho que não sabe separar o trabalho dos assuntos da família, desrespeitando o pai (que é chefe) no empreendimento.

Nos períodos transitórios, é preciso levantar questões como: preparo dos sucessores, motivação profissional, motivação pessoal e os conflitos que podem surgir.

A sucessão deve ser encarada como motivo de preparação. Ela também não é só uma questão que deve ser vista pelo sucessor, mas por todos da organização para que todo o processo seja tranquilo. O processo de sucessão deve ser reconhecido como justo e sábio e o novo chefe deve ser preparado para assumir os negócios da família. Tudo precisa ser encaminhado com maturidade e responsabilidade e ser fruto dos negócios de sucesso.

Quais os pontos fortes de uma gestão familiar de sucesso?

Em uma gestão familiar de sucesso há vários pontos fortes como: comando único, que permitem as condutas rápidas em casos de emergência; estrutura administrativa, operacional eficiente e simplificada, organização responsável e interna, relações comerciais decorrentes de um nome respeitado, grupo motivado e unido em torno do fundador da empresa, elevação da confiança mútua e percepção em relação ao bem-estar dos colaboradores/mecânicos.

Como você pode observar, a gestão familiar deve envolver todos os profissionais da organização. Dessa maneira você criará bons relacionamentos, unirá forças para vencer os desafios diários e terá uma administração mais  eficiente.

Agora você já sabe o que fazer para ter uma gestão familiar eficiente e dar continuidade em seus negócios, não é mesmo? Siga nossas dicas e tenha sucesso em sua empresa!

Quer ler outros conteúdos como este? Continue acessando nosso blog e fique sempre bem informado!